segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Desabafo sem sentido #1

Hoje ao assitir a um filme deparei-me com uma dura realidade, nós, seres humanos, raramente fazemos, dizemos aquilo que realmente queremos. Há aqueles que são médicos mas que na verdade o que queriam mesmo era ser pintores, aqueles que não dizem AMO-TE com medo de serem rejeitados, aqueles que vestem fato e gravata mas na verdade o que gostavam mesmo era andar de calções e chinelo de dedo, mas não o fazem porque o dress code é para seguir á risca, aqueles que travam uma dificil batalha com o coração porque não querem ser magoados, aqueles que vivem amargurados com a vida porque não seguiram os seus sonhos, porque não fizeram acontecer, porque não fizeram aquilo que realmente queriam.
Eu não quero ser uma dessas pessoas, DEUS sabe que não, mas não consigo apenas fugir, há uma série de senãos, há uma carrada de contras, há toda uma família por trás que simplesmente não posso deixar ao acaso. Se sou feliz? Oh pá, tento sê-lo á minha maneira. O problema é que há e sempre vai haver qualquer coisa a faltar, somos um ser insatifeito por natureza, andamos sempre á procura de algo, que não fazemos a minimia ideia do que seja, mas que no fundo sabemos que falta, tipo um puzzle.
 È o que a vida é, um complicado puzzle de mil e tantas peças, peças essas que estão espalhadas sabe-se lá por onde, e nós apenas temos que encontrá-las e terminar o maldito puzzle, a verdade é que ás vezes o puzzle fica a meio, outras vezes nem sequer chega a ser pricncipiado. Eu ando á procura das minhas peças, se alguém as vir, por favor, avisem-me...

PS: o filme que vi não foi o Marie Antoniette (imagem) uma coisa não tem haver com a outra. só para não haver dúvidas

3 comentários:

Nokas disse...

Acho que nenhum ser humano é completo, falta sempre uma peça!

Vânia disse...

acho que realmente faz parte de nós querermos sempre mais e nunca estarmos satisfeitos. Na verdade acho que até é bom procurar mais, ser melhor, encontrar novos caminhos, o que não podemos deixar que aconteça é o comodismo, porque isso torna as pessoas muito mais infelizes.

beijinhos

Beatriz R. disse...

Concordo com a Vânia. O comodismo é do pior que pode haver, e acho que é precisamente o comodismo, juntamente com o medo, que impede as pessoas de arriscarem e de serem felizes.